Grupo Mídia e Narrativa realiza 6º Seminário

O grupo de pesquisa Mídia e Narrativa apresentará, durante a Jornada das Utopias, seu 6º Seminário, intitulado “Emergências: novas realidades e as mídias”. Serão três dias de evento e oito mesas de discussão, abordando temas variados, como narrativas jornalísticas contra hegemônicas e questões de gênero. O grupo é coordenado por Marcio Serelle, professor e membro do colegiado de Jornalismo, e conta com a participação de alunos e professores do Prédio 13 e do mestrado, além de pesquisadores de outras instituições.

O seminário terá início na próxima terça-feira, com a mesa “Crítica das ficções audiovisuais”, que contará com discussões sobre análise das obras “Tudo por um furo”, “Narcos” e “Homeland”. Na quarta-feira, acontecerão quatro mesas ao longo do dia, com os temas “Entre a telenovela e o jornalismo: questões de alteridade”, “Jornalismo e redes digitais”, Narrativas jornalísticas e inclusão social”, “A estética do Outro: imagens entre cinema e reportagem”. Na quinta, as temáticas serão: “O Outro e o Mesmo nas narrativas midiáticas”, “Mídia e marginalidades sociais” e “Saberes representativos e narrativas”. A programação está disponível no site: https://midiaenarrativa.wordpress.com/

Para Serelle, o seminário tem o objetivo de problematizar narrativas midiáticas em espectro amplo. “Queremos estudar como as narrativas midiáticas servem, tratam, fazem circular, enfim, medeiam as realidades de grupos sub-representados que, cada vez mais, reivindicam visibilidade e recusam os estereótipos que, historicamente, têm sido impostos a eles”, disse.

Sobre o grupo
O Mídia e Narrativa foi criado em 2008, com o objetivo de analisar criticamente práticas e textos midiáticos contemporâneos. O projeto central do grupo é baseado no conceito de mediação e nas representações midiáticas. “As discussões do grupo buscam, principalmente, refletir sobre as relações entre textos midiáticos e contextos, uma vez que acreditamos que a mediação dessas narrativas reverberam fortemente na sociedade e estão implicadas nos modos como nos relacionamos uns com os outros no cotidiano”, afirmou Serelle.

O grupo já realizou, no ano de 2017, dois eventos que promoveram debates sobre produtos midiáticos: no primeiro semestre, sobre a série Black Mirror e, no segundo, analisando o documentário Eu Não Sou Seu Negro. O último Seminário do grupo , “Mediações Críticas”, aconteceu em setembro de 2016. Os artigos apresentados foram reunidos em um e-book, que será lançado ainda este ano,em parceria com o grupo de pesquisa MidiAto, da ECA-USP.

 

Texto originalmente publicado no Treze Informa, produzido pelo Centro de Comunicação Integrada (CCI)

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *