Analisando o panorama da política pós 2013

A professora Tatiana Roque palestrou para alunos do Treze

Com o intuito de debater a estrutura democrática brasileira após as jornadas de 2013, a professora e filósofa da UFRJ Tatiana Roque, convidada pelos cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda, veio à PUC Minas para um debate com alunos, na última terça, 05, no Teatro (prédio 30).

Tatiana descreveu os movimentos de 2013 como a “criação de um novo universo possível”. Segundo a professora, aquelas manifestações foram o pontapé para diversas demandas progressistas, como a luta do feminismo, do movimento negro e dos coletivos LGBT. As ocupações de 2016 também foram citadas como forma de resistência ao conservadorismo.

Para Tatiana, é fundamental que os movimentos tradicionais compreendam que não é possível excluir grupos minoritários das lutas por direitos. “Muitas vezes, é possível perceber diversos estigmas e preconceitos dentro da própria esquerda. A discussão não pode ficar monopolizada por homens brancos”, afirmou.

A professora ponderou também sobre o movimento de polarização, que se consolidou após as eleições de 2014. “Muitas vezes, as pessoas acreditam que devem se agarrar totalmente a um lado. Penso que o cenário político é mais complexo que isso”, disse. Uma das principais referências da apresentação de Tatiana foi Deleuze, filósofo francês identificado com pautas progressitas.

Segundo Ercio Sena, coordenador do curso de Jornalismo, é fundamental trazer a discussão sobre diferentes atores políticos. “Nós, comunicadores, precisamos debater direitos e garantias no Brasil, com uma leitura que consiga abranger os movimentos sociais”, afirmou.

DEBATE

Após a fala da professora, o debate entre alunos e professores englobou pautas como a reforma dos meios de comunicação e as greves. Para Rebeca de Castro, do 2° período de Jornalismo, a palestra foi importante para uma melhor compreensão do atual quadro social e político brasileiro. “Depois de analisar o ano de 2013, percebi que ele foi crucial para os acontecimentos seguintes. Consigo entender melhor as razões de estarmos tão divididos”, afirmou.

 

Texto originalmente publicado no Treze Informa, produzido pelo Centro de Comunicação Integrada (CCI).

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *